ARTIGOSMALBA VARJÃO

DIFERENÇAS ENTRE ANSIEDADE E SÍNDROME DO PÂNICO

Imagem de Engin Akyurt por Pixabay

A ansiedade é uma reação natural do ser humano às emoções, algo contínuo e progressivo que surge ao enfrentar situações de perigo ou tensão, como assistir a um filme de terror, o que provoca sensações ansiosas. Na ansiedade, quando vem o surto o coração dispara, vem a taquicardia, com palpitações por causa da adrenalina lançada no organismo, além da sensação de desconforto geral do organismo, ocasionando reações de ataque ou fuga. E se essa ansiedade é excessiva, pode se tornar uma doença (CID 10 F41.1), o transtorno de ansiedade generalizada, onde surgem os sintomas de preocupação e medo excessivo diante de situações simples da vida cotidiana.

A ansiedade é próxima de uma preocupação com efeitos contínuos e progressivos, caracterizando-se num aspecto do medo até certo ponto benéfico, pois nos livra de situações perigosas que podem colocar nossa vida em risco. Estas sensações são, até certo ponto, necessárias e úteis à sobrevivência.

Na Síndrome do Pânico, existe um comportamento súbito e repentino. A crise de ansiedade é disparada como se fosse um alarme soando em nosso organismo, algo irreal e inconsciente provocado no sistema nervoso central e autônomo com sensações de sufocamento, aumento da frequência cardíaca, falta de ar, e sintomas físicos de desconforto e dificuldade respiratória, chegando a se assemelhar em muito com os sintomas do covid-19, tão propalado pela mídia nesta situação de pandemia.

Por este motivo muitas pessoas procuram fazer exames laboratoriais suspeitando que seus sintomas são consequência de contaminação pelo Coronavírus. Tal condição física, psicológica e emocional dispara um gatilho em nosso organismo, o que desencadeia um descontrole total da realidade.

A tendência é o nível de tensão aumentar cada vez mais, provocando sudorese, sentimento de fadiga, sufocamento e falta de ar, contínua e progressiva irritabilidade, dificuldades para dormir e insônia constante, e um estado de vigília, como se algo muito grave estivesse para acontecer. Podem surgir tremores musculares e sintomas de despersonalização e desrealização, como se a realidade fosse outra, devido à troca irregular de gás carbônico pelo oxigênio, que nosso organismo necessita para se manter. Por este motivo, exercícios respiratórios, meditação e relaxamento físico são muito eficazes.

Na ansiedade o padrão é progressivo, variável e contínuo. Na Síndrome do Pânico, seu pico de ansiedade atinge em 10 minutos e só diminui após 30 minutos, o que parece uma eternidade. E vem seguida de sensação de morte eminente.

A diferença básica entre ansiedade e pânico, tem a ver com a intensidade e a duração dos sintomas. Para uma pessoa leiga, é muito difícil, senão impossível, conseguir diferenciá-las. Para tanto se faz necessário buscar ajuda profissional especializada, psicológica e médica, pois a terapia medicamentosa pode se fazer necessária para lidar com as desagradáveis sensações causadas pelos sintomas – físicos e emocionais.

 

Drª Malba Thania Alves Varjão

Psicóloga Clínica

 

Total Views: 97 ,