ARTIGOSMALBA VARJÃO

EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE – POR MALBA VARJÃO

Educar para a saúde é ajudar na busca da compreensão das raízes de inúmeros problemas, para que se encontrem suas soluções. É buscar conhecimentos, saberes, sejam de caráter científicos ou popular, que nos ajudam a ficar bem.

É necessário e importante que haja maior integração entre educação e saúde, o que pode ser realizado através de programas desenvolvidos pelo poder público, como de saúde mental, obesidade, diabetes, hipertensão, fibromialgias, gestantes, portadores de DST, alcoolismo, tabagismo e até de ergonomia.

Estamos em plena pandemia, e o recomendável é que haja distanciamento social, isolamento ou quarentena, e estando em casa, constata-se que o acesso e recebimento de notícias do cotidiano é maior, seja através da internet ou pelas mídias convencionais como rádio e televisão.

Com isso, desenvolver a capacidade de identificar, compreender o que são e fugir das famigerada fake news, ou na tradução literal, notícias falsas.

Essas notícias trazem danos enormes a seus personagens, além de gerar ao receptor pensamento negativo, cuja consequência é stress, pânico e ansiedade. Diante disso, torna-se muito significativo e importante manter conexões com pessoas positivas e altruístas para que não surjam conflitos entre a mente racional e emocional.

Em tempos de quarentena nos faz muito bem praticar pequenos atos de gentileza para com o próximo, apreciar de maneira voluntária as belezas da natureza, ter um pensamento de gratidão com meditação consciente dos atos praticados. E concentrar a atenção em sensações físicas e mentais.

Perceber os pensamentos e focar o momento vivido e na ação praticada, para que não privilegie apenas as reações desagradáveis com as quais somos bombardeados a todo momento do dia.

Se praticarmos a agilidade emocional, ou seja, uma reação positiva imediata, numa perspectiva de mudar a emoções negativas praticada automaticamente no pensamento involuntário, podemos diminuir estados de ansiedade – e não gerar uma ansiedade generalizada.

Devemos agir de acordo com nossos mais preciosos valores e praticar o que julgamos importante, sem nos importar com o julgamento de pessoas.

Ser feliz é agir de acordo com aquilo que acreditamos, praticando o que nos proporciona segurança, harmonia, força e prazer.

Nutrir atividades prazerosas, artesanato, pintura, esporte, lazer e ações com emoções positivas e saudáveis, faz com que o estresse emocional do momento vivenciado crie uma tendência a diminuir, proporcionando um menor desgaste físico e mental.

E por que não após refletir, perguntar: “O que tenho para agradecer hoje?”

 

Drª Malba Thania Alves Varjão

Psicóloga Clínica

 

 144 total views,  4 views today

Comments (3)

  1. Ótimo conteúdo. Texto claro, educativo e de qualidade. Parabéns Dra Malba.
    Silvia Hannah

  2. Parabéns vc é abençoada menina linda.
    Angela da Saúde

  3. 👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻 Amei! Principalmente no trecho em que diz sobre “nutrir atividades prazerosas”. Como terapeuta ocupacional, amo e também defendo o poder da atividade humana no bem-estar físico, psíquico e emocional. Parabéns pela coluna Malba. Sucesso!!! ❤️👏🏻❤️❤️❤️💐😘

    Viviane – Terapeuta Ocupacional

Comentário